Ano de 2007
 
Data
Origem
Resumo da Noticia

Noticia completa

20 de Outubro
Jornal da Madeira

"Região recebe projecto CLIMARCOST "

A Região recebeu ontem, no porto do Caniçal, a terceira reunião de parceiros do projecto CLIMARCOST - Sistema de Monitorização de dados Meteo-Oceanográficos, desenvolvido no âmbito do programa INTERREG III B. Com este projecto a Região ficará a conhecer melhor o seu clima marinho.


20 de Setembro


O Baluarte

 

"Rede de Estações Ondógrafo alargada à Ilha "

No passado dia 30 de Agosto foi lançada uma estação ondógrafo ao largo da ilha de Santa Maria, no âmbito do projecto CLIMARCOST (INTERRREG-IIIB, Açores, Madeira e Canárias).
Com a colocação desta estação e na sequência dos projectos CLIMAAT fica assim alargada a monitoriação da agitaçao marítima de um extremo ao outro do arquipélago açoriano.



16 de Setembro
Correio dos Açores

"Flores fora de época, Verões diferentes: Alterações climáticas já se fazem sentir nos Açores "

As flores nascem fora de época, as temperaturas estão diferentes e o Verão já não é o que era, com os dias a escurecer mais cedo. Estes são apenas alguns dos efeitos das alterações climáticas que já se fazem sentir nos Açores. Segundo Eduardo Brito de Azevedo, especialista em climatologia e coordenador dos projectos CLIMAAT e CLIMARCOST nos Açores já se verificam "alguns indícios do fenómeno traduzido, sobretudo, por um incremento da irregularidade do regime da precipitação anual e respectiva variabilidade inter-anual, e por um incremento das temperaturas médias, sobretudo nas mínimas.


15 de Setembro

Diário Insular

"Conhecimento meteorológico digitalizado e disponível on-line "

Os dados meteorológicos existentes nos Açores desde que começaram a ser realizadas leituras sistemáticas nos observatórios de Ponta Delgada, Angra do Heroísmo e Horta, estão a ser digitalizados no âmbito do projecto CLIMAAT da Universidade dos Açores, (Terra Cha, Ilha Terceira)



12 de Setembro
Diário Insular

"Assegura Brito de Azevedo, especialista em climatologia: Ordenamento do território é chave para Região enfrentar mudanças no clima "

O ordenamento do território será a chave para que os Açores possam enfrentar os feitos das alterações climáticas previstas para os próximos anos. A certeza parte do professor universitário Eduardo Brito de Azevedo, responsável pelo projecto CLIMAAT, afecto à Universidade dos Açores.


5 de Setembro

Diário Insular

"Alterações Climáticas - Região mais exposta tempestades tropicais"

Os Açores, a manter-se a tendência de aquecimento global, terão maior probabilidade de serem atingidos por tempestades tropicais. A possibilidade é avançada ao DI pelo pelo professor universitário Eduardo Brito de Azevedo.




4 de Setembro
Jornal da Radio Graciosa

"Projecto Climarcost - Rede de estações ondógrafo alargada a Santa Maria "

Com o lançamento de mais uma estação ondógrafo ao largo da ilha de Sta. Maria (dia 30 de Agosto), o projecto CLIMARCOST (INTERREG_IIIB, Açores, Madeira e Canárias), na sequência dos projectos CLIMAAT, alarga a monitorização da agitação marítima de um extremo ao outro do aruipélago dos Açores



4 de Setembro

Correio dos Açores

"CLIMARCOST conta já com seis bóias: Estações ondógrafo chegam a Santa Maria "

Este tipo de estações estão naturalmente limitadas aos condicionalismos resultantes da sua posição geográfica face a cada uma das ilhas e a informação gerada por cada uma das unidades ondógrafo e, no seu conjunto, por todo o dispositivo, permite produzir informação e desenvolvimentos científico sobre a dinâmica oceanica costeira, com importancia relevante para todas as actividades que se relacionam com o ambiente marítimo.




3 de Setembro
A União

"Projecto CLIMARCOST - Rede de estações ondógrafo alargada a Santa Maria "

Com o lançamentp de mais uma estação ondógrafo ao largo da Ilha de Sta. Maria (30 de Agosto), o projecto CLIMARCOST (INTERREG_IIB, Açores, Madeira e Canárias), na sequência dos projectos CLIMAAT, alarga a monitorização da agitação marítima de um extremo ao outro do arquipélago dos Açores.


2 de Setembro

Açoriano Oriental

"Bóia Ondógrafo em Santa Maria "

O lançamento de mais uma estação ondógrafo ao largo da Ilha de Santa Maria no passado dia 30 de Agosto, permitiu alargar a monitorização da agitação marítima de um extremo ao outro do arquipélago dos Açores.




25 de Agosto
Correio dos Açores

"Monitorização das Águas do Mar: Açores estão na linha da frente "

O projecto de monitorização da agitação marítima, que está em curso nos Açores, continua a dar cartas no panorama nacional. Acaba de ser instalada mais uma bóia ondógrafo, desta feita ao largo da ilha Graciosa. Com mais esta iniciativa, à qual se seguirá a instalação da estação ondógrafo de Santa Maria, o mar dos Açores passa a ser a zona do país melhor monitorizada em termos de agitação marítima.


25 de Agosto

Diário Insular

"Nova Estação ao Largo da Graciosa: Açores na "vanguarda" da monitorização marítima "

Acaba de ser instalada mais uma estação de monitorização da agitação marítima, desta feita, ao largo da ilha Graciosa, o que surge na sequência dos projectos em que o observa-tório do ambiente dos açores e o Centro do Clima, Meteo-rologia e Mudanças Globais da Universidade dos açores se encontram envolvidos.
Com a instalação da bóia ondógrafo ao largo da Gra-ciosa, o mar dos açores passa a ser a zona do país melhor monitorizada em termos de agitação marítima costeira, referem os responsáveis do projecto, liderado por Eduardo Brito de Azevedo.




25 de Agosto
Açoriano Oriental

"Ilha Graciosa recebe estação de monitorização "

A Ilha Graciosa recebeu uma estação de monitorização da agitação marítima no âmbito do projecto "Climarcost".
O sistema é financiado pelo Fundo Regional de Coesão do Governo Regional dos Açores e pela Comunidade Europeia através do programa INTERREG-IIIB.


24 de Agosto
A União

"Na Graciosa: Estação de monitorização da agitação marítima"

À semelhança das iniciativas anteriores (projectos CLIMAAT), o projecto CLIMARCOST (Clima Marítimo e Costeiro) tem como objectivo melhorar a informação de natureza operacional e de segurança no mar e contribuit para o aprofundamento do conhecimento científico nos domínios da meteorologia e climatologia insulares e atlânticas, em particular no domínio geográfico da região da Macaronésia,


22 de Agosto
Açoriano Oriental

"Furacões vão aumentar de intensidade no globo "

O fenómeno irá surgir na sequência das alterações que assolam o planeta. Os Açores geralmente escapam à temporada dos furacões, mas não estão fora da sua rota. O Gordon ainda está bem patente na memória colectiva.


22 de Junho

Açoriano Oriental

"Investigação europeia sobre qualidade da água do mar"

A Universidade dos Açores (UA) é uma das entidades que participam no European
Atlantic Forecasting System Project, um projecto a nível europeu que pretende
desenvolver um sistema multifacetado capaz de prever a qualidade da água do
mar.




8 de Junho
Jornal Diário

" Liderar projectos de ponta na climatologia mundial"

A secretária regional do Ambiente e do Mar defendeu, em Angra do Heroísmo, que os Açores e, nomeadamente a sua Universidade, têm condições para liderar projectos de ponta na climatologia, a nível mundial.
Ana Paula Marques, que falava no final de uma visita ao pólo da ilha Terceira da Universidade dos Açores, afirmou-se convicta de que “a investigação sobre climatologia que está a ser efectuada pelos investigadores do Departamento de Ciências Agrárias, no âmbito do CLIMAAT (Clima e Meteorologia dos Arquipélagos Atlânticos), merece projecção internacional”.


7 de Junho

Nota à Imprensa

Nota à Imprensa: 2ª Reunião do Projecto EASY

O Centro de Estudos do Clima, Meteorologia e Mudanças Globais (C_CMMG) da Universidade dos Açores, na qualidade de parceiro, promove nos dias 20, 21 e 22 do presente mês, em Angra do Heroísmo, a segunda reunião do projecto EASY (European Atlantic Forecasting System).


Nota à Imprensa


Programa
27 de Junho
Diário Insular

"Ilhas são dos territórios mais vulneráveis do Planeta "

Brito de Azevedo: "(...) só através de políticas de escala é que se podem esperar resultados.


22 de Junho

Açoriano Oriental

"Investigação europeia sobre qualidade da água do mar"

A Universidade dos Açores (UA) é uma das entidades que participam no European
Atlantic Forecasting System Project, um projecto a nível europeu que pretende
desenvolver um sistema multifacetado capaz de prever a qualidade da água do
mar.



8 de Junho
Jornal Diário

" Liderar projectos de ponta na climatologia mundial"

A secretária regional do Ambiente e do Mar defendeu, em Angra do Heroísmo, que os Açores e, nomeadamente a sua Universidade, têm condições para liderar projectos de ponta na climatologia, a nível mundial.
Ana Paula Marques, que falava no final de uma visita ao pólo da ilha Terceira da Universidade dos Açores, afirmou-se convicta de que “a investigação sobre climatologia que está a ser efectuada pelos investigadores do Departamento de Ciências Agrárias, no âmbito do CLIMAAT (Clima e Meteorologia dos Arquipélagos Atlânticos), merece projecção internacional”.

7 de Junho

Nota à Imprensa

Nota à Imprensa: 2ª Reunião do Projecto EASY

O Centro de Estudos do Clima, Meteorologia e Mudanças Globais (C_CMMG) da Universidade dos Açores, na qualidade de parceiro, promove nos dias 20, 21 e 22 do presente mês, em Angra do Heroísmo, a segunda reunião do projecto EASY (European Atlantic Forecasting System).


Nota à Imprensa


Programa
7 de Junho
Diário dos Açores

"Investigação em climatologia deve ter projecção internacional"

A investigação sobre climatologia que está a ser efectuada pelos investigadores do Departamento de Ciências Agrárias, no âmbito do CLIMAAT (Clima e Meteorologia dos Arquipélagos Atlânticos), merece projecção internacional", afirmou Ana Paula Marques

25 de Maio
Diário Insular

Aviso de Bolsa de Investigação de Doutoramento

Cargo/posição/bolsa: Bolsa de Doutoramento

Resumo do anúncio: A bolsa destina-se a desenvolver um projecto de Doutoramento na especialidade de Ciências do Ambiente, tendo como objectivo o desenvolvimento/adaptação/validação e operacionalização de modelos de previsão do estado do tempo com resolção apropriada para as ilhas da Macaronésia com particular incidencia na avaliação da interacção Oceano-Atmosfera.

Perfil do bolseiro: podem candidatar-se todos os que sejam possuidores de licenciaturas/mestrados em Ciencias Geofisicas do Ambiente, ou áreas afins, com componente significativa em Meteorologia e em Física de Fluídos.

3 de Maio
Azores Digital

"Representante do Fundo Regional de Coesão em reunião do projecto CLIMARCOST "

O Fundo Regional de Coesão (FRC) vai participar no próximo dia 4 de Maio, sexta feira, em Las Palmas, Gran Canária, numa reunião da comissão de coordenaçãp do projecto CLIMARCOST.

26 de Março
Açoriano Oriental

"As pequenas ilhas são mais vulneráveis às alterações globais"

As menores amplitudes da variação climática podem, à escala regional, corresponder a impactos ambientais mais problemáticos.
A sobreelevação do nível do mar, também ela consequência do clima, revela-se como uma séria ameaça às zona costeiras.

"Foi possível dotar os Açores de acompanhamento em tempo real "

Pela primeira vez, foi possível dotar o arquipélago dos Açores de um dispositivo de acompanhamento em tempo real das condições da agitação marítima, bem como disponibilizar previsões do estado do tempo e do mar com uma resolução mais adequada às nossas necessidades.

10 de Março
Diário Insular

Bóia ondógrafo colocada ao lago do Pico e Faial

Reforçar a capacidade dos Açores para monitorizar o estado do mar e caracterizar o clima marinho é o objectivo da colocação de uma bóia ondógrafo, a cerca de 3 milhas, a norte do Porto da Madalena, na ilha do Pico e à mesma distância, a Este da Ponta da Ribeirinha, no Faial.
A bóia passa a integrar a rede meteo-oceanográfica dos projectos CLIMAAT e CLIMARCOST.

10 de Março
A União

Agitação do mar no triângulo

Foi fundeada quinta-feira, mais uma bóia ondógrafo numa posição a cerca de 3 milhas a Este da Pinta da Ribeirinha (Faial) e a 3 milhas a Norte do Porto da Madalena (Ilha do Pico), numa profundidade da ordem dos 115 m, coordenadas
38º 35.261'N; 28º32.227'W.
Esta bóia passa a integrar a rede meteo-oceanográfica dos projectos CLIMAAT e CLIMARCOST.

 

 

Ano de 2006
 
Data
Origem
Resumo da Noticia

Noticia completa

18 de Outubro
Jornal da Rádio Graciosa

Santa Cruz da Graciosa possui já uma estação do projecto CLIMAAT

Na Graciosa, a Universidade dos Açores instalou Segunda-Feira uma câmara de observação, que tem como objectivo ver em tempo real o actual estado do tempo dados que podem ser visualizados pela Internet, tal como confirmou, Eduardo Brito.

17 de Outubro
Rádio Graciosa

Projecto CLIMAAT já chegou à Graciosa

Na Graciosa, a Universidade dos Açores instalou Segunda-Feira uma câmara de observação, que tem como objectivo ver em tempo real o actual estado do tempo dados que podem ser visualizados pela Internet.
Também vai ser colocada sensivelmente a Norte de Santa Cruz da Graciosa, uma bóia ondógrafo para medir a agitação marítima.

27 de Setembro
Jornal da Madeira

Jornadas sobre o clima terminaram

Terminaram, ontem as Jornadas Técnicas de Encerramento e Apresentação de Resultados do Proejcto "CLIMAAT II", designado "Clima e Meteorologia dos Arquipélagos Atlânticos"

24 de Setembro
Jornal da Madeira

Investigadores traçam futuro do clima da Região

Por razões de ordem geográfica as ilhas atlânticas reúnem as condições naturais de excelência para o estudo e acompanhamento dos fenómenos meteorológicos, que atravessam o oceano Atlântico e que exercem enorme influência sobre os continentes que o rodeia.

22 de Setembro
Expresso das Nove

Observatório do Ambiente em construção

Decorrem a bom ritmo as obras de construção do Observatório do Ambiente, em Angra do Heroísmo, bem perto da marina da cidade.
A obra - um investimento de um milhão de euros - deverá estar concluida no fim deste ano. O Observatório fica situado nas antigas instalações da Casa do Peixe, na marginal da cidade
.

21 de Setembro
Diário Insular

Gordon troca as voltas e não afecta o arquipélago

Só em Santa Maria e em S. Miguel cairam alguns ramos de árvores.
Protecção Civil retirou os alertas ontem. O Gordon deslocou-se para sul e não afectou as ilhas.
O comunicado da Protecção Civil adiantava que foi em Santa Maria que se registou a rajada de vento mais intensa - 151 quilómetros/hora - e a bóia do projecto CLIMAAT localizada a sul de São Miguel registou entre 7,5 e os 12 metros.

20 de Setembro
Metro Portugal

60 Segundos: Eduardo Brito de Azevedo

Qual o objectivo do CLIMAAT?
O projecto permite fazer uma monitorização do estado do mar através das bóias que medem a agitação marítima. Mede ainda a qualidade do ar, por exemplo na montanha do Pico.

Julho
Revista INTERREG IIIB - Noticias

CLIMAAT II: CLima e Meteorologia dos Arquipélagos Atlânticos

Permite conhecer a previsão do tempo e do estao do mar nos três arquipélagos.
Canárias, Madeira e Açores estabelecerão uma rede comum de observação para as condições meteorológicas e oceanográficas.
No âmbito deste projecto estuda-se também as intrusões de areia do Sahara em Canárias e a susceptibilidade da Florestas às alterações globais do clima.

Junho
Science Jobs - Emprego Cientifico

Concurso para bolsa de Investigação no âmbito do Projecto CLIMARCOST (Portugal)

Lisboa, Angra do Heroísmo, Universidade de Lisboa, Universidade dos Açores
Prazo: 15 de Junho de 2006

O bolseiro irá dar continuidade à tarefa de operacionalização de códigos de previsão do estado do tempo em resolução apropriada para as ilhas da Macaronésia. Os códigos serão testado exaustivamente em casos de estudo e será dada continuidade a esquemas de automatização dos vários procedimentos à escala diária (duas vezes ao dia), incluindo a importação e preparação de condições fronteira, o lançamento das simulações, a reanálise e pós-processamento e visualização dos resultados. O trabalho será realizado em colaboração com o Centro de Geofísica da Universidade de Lisboa e com o grupo de Climatologia da Universidade dos Açores (Ilha Terceira). A componente de interacção Oceano-Atmosfera será especialmente focada.

Habilitações: Formação superior em Ciências Geofísicas (Mestre, Pós-Graduado ou Licenciado) ou em área com componente significativa em Física de Fluidos.

Junho
The Researcher's Mobility Portal

Anúncio de Concurso para Bolsa de Investigação

Cargo/posição/bolsa: Bolsa de Investigação

Referencia: Projecto CLIMARCOST (02/MAC/2.3/A1)

Resumo do anúncio: O bolseiro irá dar continuidade à tarefa de operacionalização de códigos de previsão de estado do tempo em resolução apropriada para as ilhas da macaronésia.

Perfil do bolseiro: Formação superior em Ciências Geofísicas (Mestre, Pós-Graduado ou Licenciado) ou em área com componente significativa em Física de Fluidos. Bons conhecimentos de programação em FORTRAN. Disponibilidade para realização de trabalho nos Açores

2 de Junho
Diário Insular

Anúncio de Concurso para Bolsa de Investigação

Perfil do bolseiro: Formação superior em Ciências Geofísicas (Mestre, Pós-Graduado ou Licenciado) ou em área com componente significativa em Física de Fluidos. Bons conhecimentos de programação em FORTRAN. Disponibilidade para realização de trabalho nos Açores.

Condições preferenciais e critérios de avaliação: Mérito curricular e científico, bons conhecimentos de informática, incluindo programação científica, processamento gráfico e utilização de Linux, familiaridade com os temas e tarefas a desenvolver. Boa comunicação oral e escrita em português e inglês. Espírito de trabalho e camaradagem e disponibilidade para desenvolver trabalho intensivo.

Tarefas: O bolseiro irá dar continuidade à tarefa de operacionalização de códigos de previsão do estado do tempo em resolução apropriada para as ilhas da Macaronésia. Os códigos serão testados exaustivamente em casos de estudo e será dada continuidade a esquemas de automatização dos vários procedimentos à escala diária (duas vezes ao dia), incluindo a importação e preparação de condições fronteira, o lançamento das simulações, a reanálise e pós-processamento e visualização dos resultados. O trabalho será realizado em colaboração com o Centro de Geofísica da Universidade de Lisboa e com o grupo de Climatologia da Universidade dos Açores (Ilha Terceira). A componente de interacção Oceano-Atmosfera será especialmente focada.

Candidatura: Os interessados deverão enviar a sua candidatura, composta por Curriculum Vitae completo e detalhado com experiência profissional anterior e outros documentos considerados relevantes:
A/c de: Prof. Eduardo Brito de Azevedo
Associação Para o Estudo do Ambiente Insular
Apartado 356 – 9701/904
Angra do Heroísmo.

Prazo para entrega da candidatura: 15 de Junho de 2006.

13 de Abril
Jornal da Madeira

Madeira vais estudar alterações climáticas

Projeto CLIMAAT arranca este ano e analisará impactos.
O Governo Regional através da Direcção Regional do Ambiente, vai estudar o impacto de eventuais alterações climáticas, nos finais do século, em várias áreas, desdea agricultura e as florestas ao turismo e à saúde humana. Domingos Abreu diz que é necessário antecipar eventuais problemas.

2 de Abril
Diário Insular

Observatório do Ambiente - Natureza Viva

Os diversos aspectos da biodiversidade açoriana vão ser divulgados no Observatório do Ambiente dos Açores, a instalar na antiga Casa do Peixe, em Angra do Heroísmo. O edifício está a ser reconstruido e ampliado para que o Observatório possa abrir as suas portas no Verão de 2007. A gestão da infra-estrutura vai ser assegurada pela Associação para o Estudo do Ambiente Insular.

23 de Março
Diário dos Açores

Pilares do Desenvolvimento

Carlos César, reafirmou, em Angra do Heroísmo, a aposta, na Ciência e Tecnologia, por serem "pilares para o crescimento económico, para o aumento da competitividade e para a melhoria do bem-estar social"
Falando na cerimónia de lançamento da primeira pedra do Observatório do Ambiente dos Açores (OAA), o chefe do Executivo lembrou que essa prioridade está prevista no Programa do Governo e que, posteriormente, o Governo da República viria a colocar a mesma ênfase nete sector, "consubstanciando, assim, as bases de uma prioridade nacional"

23 de Março
Diário Insular

Nos Meses de Inverno: Concentração da Chuva poderá Afectar aquíferos

A concentração da precipitação no Inverno em deterimento do Verão poderá provocar problemas de disponibilidade de água, alerta Eduardo Brito de Azevedo.
O investigador recordou no entanto "situações dramáticas de falta de água" já registadas no arquipélago designadamente nos anos 40 do século XX.

22 de Março
A União

Obras na Casa do Peixe: Divulgação das Ciências com espaço em Angra

Divulgar as ciências e o conhecimento junto dos cidadãos, disponibilizar à população em geral, e às instituições de ensino de carácter didático e pedagógico, condições de aprendizagem experimental, científica e tecnológica, propor ou participar em projectos de investigação científica aplicada de interesse regional, e criar condições de acesso à sociedade global da informação do conhecimento, são os principais objectivos do Observatório do Ambiente dos Açores.

22 de Março
Jornal Diário

Tecnologias: Tecnologias são fulcrais para o crescimento dos Açores

A ideia foi reafirmada, ontem em Angra do Heroísmo, por Carlos César.
Carlos César, que falava na cerimónia de lançamento da primeira pedra do Observatório do Ambiente dos Açores (OAA), vincou tratar-se "do maior investimento alguma vez efectuado em Ciência e Tecnologia na Região..."

22 de Março
Diário Insular

Carlos César destaca aposta do Governo - Ciência e Tecnologia são prioridade regional

Carlos César defende que a Ciência e a Tecnologia devem estar entre as prioridades regionais. O Governo pretende investir 16.7 milhões de euros no sector,

22 de Março
Açoriano Oriental

Climatologia e Meteorologia no Observatório do Ambiente

Foi ontem lançada a primeira pedra do Observatório do Ambiente dos Açores, em Angra do Heroísmo. Este foi o principal acto do presidente do Governo Regional para assinalar o Dia Mundial da Floresta
O investimento, segundo Carlos César, "não será mais dp que a montra de um Centro de Investigação de Excelência na área da Climatologia e da Meteorologia..."

16 de Março
Diário Insular

Vagas de quinze metros registadas nos Açores - Tempo melhora a partir de hoje

Vagas com cerca de quinze metros de altura foram registadas ontem, pela rede de monitorização das ondas do projecto CLIMAAT ao largo do porto de Ponta Delgada.

15 de Março
Diário Insular

Obras já começaram: Observatório

O Observatório do Ambiente dos Açores, que ficará instalado nas antigas instalações da Casa do Peixe de Angra do Heroísmo, deverá ser inaugurado no próximo ano.
Embora as obras já tenham começado, a cerimónia de lançamento da primeira pedra de recuperação do edifício da Casa do Peixe, terá lugar na próxima terça-feira.

10 de Março
A União

Vários Anos Depois ... - "Casa do Peixe" ganha formas de Observatório Ambiental

Ao cabo de, pelo menos quatro anos de os angrenses ourvirem falar do mesmo, isto é, da transformação das instalações da "Casa da Peixe", em Angra do Heroísmo, num Observatório Científico Ambiental, eis que as obras começaram esta semana.
A infraestrutura a renascer de vários anos dedicadaos à restauração para se transformar num observatório ambiental, com carácter cientifico.

12 de Fevereiro
Diário Insular

Terceira: O Clima em 2099

Temperatura mais quente, estação da chuva mais curta e concentrada no Inverno, nível do mar mais elevado e maior susceptibilidade a tempestades marítimas. São estas algumas das alterações climáticas que podem verificar-se no final deste século na Terceira. As previsões foram publicadas em livro (reúne as possiveis alterações do clima em Portugal) e contam com a colaboração de Investigadores da Universidade dos Açores.
Estas são algumas das conclusõe do estudo ("Alterações Climáticas em Portugl - Cenários, Impactos e Medidas de Adaptação") efectuado no âmbito do projecto CLIMAAT, que foi integrado no projecto SIAM.

10 Fevereiro
Diário Insular

ANÚNCIO: Prestação de Serviço Especializado (06/CLIMAAT2)

Assunto: consulta sob forma de anúncio público para contratação de serviço especializadoPerfil requerido: Formação e capacidade técnica comprovada em programaçã e desenvolvimento de página WEB envolvendo as linguagens JSP ou PHP, mySQL e CSS. DIsponibilidade imediataPrazo para entrega das propostas: cinco dias a contar da data da publicação do presente anúncio

Endereço para envio das propostas:
Coordenador do Projecto CLIMAAT_II
Apartado 356
9701-904 Angra do Heroísmo

9 de Fevereiro
Diário Insular

Instalações do LAMtec inauguradas no dia 17

As novas instalações do Laboratório de Ambiente Marinho e Tecnológico (LAMtec) são inauguradas no próximo dia 17 , pelas 16:00, na zona balnear da Praia da Vitória junto à marina

31 de Janeiro
A União

Nos próximos 100 anos - Estudo Revela alterações climáticas profundas

O aumento do nível da água do mar, queda irregular de chuva, subida da temperatura do ar em cerca de dois graus, subida da temperatura da água dos oceanos e maior probabilidade para ocorrência de tempestades.
Estas são algumas das alterações climáticas que se podem verificar nos próximos cem anos e no Arquipélago dos Açores

31 de Janeiro
Açoriano Oriental

Região escapa ao cenário projectado para o continente

A temperatura vai aumentar 2 graus nas ilhas, mas a chuva continuará a cair na mesma quantidade.
O clima está a mudar nas nove ilhas. A pesquisa científica desenvolvida pelo investigador Eduardo Brito de Azevedo, no âmbito da segunda fase do projecto SIAM - um estudo sobre as futuras alterações do clima de Portugal - indica que, num período de cem anos, a temperatura irá aumentar entre um e dois graus Celsius, e a precipitação, embora não diminua, vai distribuir-se ao longo do ano de forma menos previsível, com tendência a períodos mais curtos de chuva intensa.

31 de Janeiro
Diário Insular

Alterações Climáticas: Recursos Hídricos das ilhas podem sofrer mudanças

Os recursos hídricos do arquipélao podem ser afectados nos próximos 100 anos devido à irregularidade da precipitação, avisa um estudo sobre as alterações climáticas em Portugal, apresentado ontem em Lisboa.
Eduardo Brito de Azevedo, investigador da Universidade dos Açores e líder do projecto CLIMAAT, adianta que nos cenários estudados, a temperatura do arquipélago pode aumentar um ou dois graus e os ciclos climáticos podem modificar-se, afectando as culturas agrícolas, que vão ter de se adaptadar a essas alterações.
       
31 de Janeiro
Diário dos Açores

Clima mundial vai alterar-se com reflexos nos Açores

De acordo com Brito de Azevedo, da Universidade dos Açores, "as precipitações, embora podendo ser em termos quantitativos iguais, podem ser mais irregulares, podemos ter cenários de precipitações intensas com uma frequênvcia maior que aquela que tínhamos no passado, isso trará alguma implicação na capacidade de recarga dos recurosos hídricos ads ilhas que são vulneráveis.

       
30 de Janeiro
Diário de Noticias

Estudo Lançado hoje em Lisboa pervê mais secas para Portugal

O clima mediterrânico e ameno do território continental português está a mudar e quase nem seriam necessários estudos para dizê-lo, face à acumulação de sinais recentes. Mas os estudos confirmam os sinais. Mais secas e ondas de calor mais prolongadas, risco de erosão costeira em 67% do território continental, quebra nas reservas de água na generalidade dos aquíferos, diminuição drástica da precipitção no Inverno e perda de biodiversidade são apenas algumas das previsões preocupantes do estudo Alterações Climáticas em Portugal, Cenários, Impactos e Medidas de Adaptação, o chamado SIAM II.

       
7 de Janeiro
Diário Insular

Segundo Eduardo Brito de Azevedo: Açores são plataforma para o estudo do clima

O estudo dos fenómenos meteorológicos que atravessam o Atlântico encontra nos Açores uma plataforma natural, defende Eduardo Brito de Azevedo, gestor do programa CLIMAAT, desenvolvido pelo Observatório do Ambiente.
O CLIMAAT visa estabelecer uma rede de troca de informação no domínio da meteorologia e da climatologia.

CLIMAAT restauro vocação dos Arquipélagos da Macaronésia

Restaurar a vocação natural dos Arquipélagos dos Açores, Madeira e Canárias para o estudo e acompanhamento dos fenómenos meteorológicos e climáticos que se desenvolvem na bacia do Atlântico Norte e que determinam o estado do tempo e a climatolgia de parte significativa do globo.
É este o principal objectivo do projecto CLIMAAT (Clima e Meteorologia dos Arquipélagos Atlânticos), financiado pelo programa comunitário INTERREG IIIB.

 

Ano de 2005
 
Data
Origem
Resumo da Noticia

NotÍcia completa

   
8 de Dezembro
Diário Insular

Segundo Eduardo Brito de Azevedo: Física contribui para o avanço da meteorologia

A Física, a meteorologia e os estudo do clima estiveram ontem em análise, numa conferência proferida por Eduardo Brito de Azevedo, na Biblioteca Pública de Angra.
Segundo Eduardo Brito de Azevedo, os avanços no domínio da Físca registados no século XX permitiram um desenvolvimento cientifico ao nível da previsão do estado do tempo e agiração amrítima e dos modelos do clima.
As tencologias meteorológicas mais recentes, como as utilizadas nos Açores, no âmbito do projecto CLIMAAT, funcionam com base em modelos físicos menos empíricos do que no passado.

   
1 de Dezembro
Diário Insular

Estudos com previsões até ao final do século XXI - Temperatura vai subir dois graus nos Açores

A temperatura média nos Açores poderá aumentar dois graus até ao final do século XXI, enquanto que a precipitação deverá manter os níveis actuais.
A mudança climatérica a nível global, nacional e regional foi o tema de uma conferência do investigador da Universidade dos Açores, Eduardo Brito de Azevedo, que teve lugar ontem, em Angra do Heroísmo, no âmbito das comemorações do 42º aniversário da Sociedade de Exploração Espeleológica Os Montanheiros. A comunicação teve como tema "Os Açores, Centro Permanente de Estudos Meteorológicos no Atlântico".
O investigador destacou ainda a continuidade do Projecto CLIMAAT (Clima e Meteorologia dos Arquipélagos Atlânticos), apoiado pela iniciativa da União Europeia INTERREG IIIB - Açores, Madeira e Canárias.

   
12 de Novembro
A União

Defende Instituto Hidrográfico: Açores "incontornáveis" na monitorização marítima

Os Açores são "incontornáveis no estudo da monitorização marítima nacional. Quem o afirma é o director geral do Instituto Hidrográfico que, de passgem pelo arquipélago, para dar a conhecer o trabalho que a instituição desenvolve, reforçou o protocolo de coperação com o departamento de Ciências Agrárias da Universidade dos Açores no âmbito do projecto CLIMAAT. Para o ano , está previsto o mapeamento do fundo do Atlântico, com deslocação aos Açores de um navio hidro-oceanográfico da Marinha Portuguesa.

CLIMAAT passa a CLIMAR-Coast

Surgido no âmbito da verbas comunitárias do Interreg IIIB, a terceira edição do Climaat (Clima e Meteorologia dos Arquipélagos Atlânticos passa a denominar-se Climar-Coast (Climatologia Marítima Costeira) cujo objectivo é dotar toda a região com bóias ondógrafos.

 

   
11 de Novembro
Diário Insular

Agitação Marítima: Ondas no Grupo Ocidental analisada por bóia

O projecto CLIMAAT , afecto à Universidae dos Açores, acede, brevemente a dados sobre a agitação marítima no Gurpo Ocidental através de uma bóia de monitorização das ondas do mar, que vai ser instalada junto ao porto comercial das Lajes das Flores.
Trata-se da terceira bóia do género a ser instalada nos mares da Região depois de duas outras ja montadas entre as ilhas de São Miguel e Santa Maria e ao largo do porto comercial da Praia da Vitória.

   
11 de Novembro
A União

A instalar nas Flores: Bóia de monitorização das ondas do mar

O Presidente da Administração dos Portos do Triângulo e Ocidente (APTO) anunciou ontem a instalação de uma bóia de monitorização das ondas do mar junto ao porto comercial das Lajes das Flores.
A nova bóia que será colocada ao largo das Flores, em parceria com a Universidade dos Açores, vai permitir medir as ondas do mar e verificar o seu impacto no mar.

   
4 de Novembro
Expresso das Nove

Observatório do Ambiente na marginal da Angra

Investigação Cientifica: O Observatório do Ambiente dos Açores vai contar com sede própria, no edificio da Casa do Peixe, no âmbito da requalificação da baía da Angra.
Requalificação: A remodelação e ampliação do edificio vai permitir a instalação de uma sala principal multifuncional, sala de reuniões, três gabinetes, biblioteca, arrumos e apoios, arquivo, reprografia e sanitários de apoio (separados por sexo).

Universitários estudam clima das ilhas atlânticas

O CLIMAAT (Clima e Meteorologia dos Arquipélagos Atlânticos), financiado pelo INTERREG IIIB e pela Direcção Regional da Ciência e Tecnologia, é neste momento a principal iniciativa do Observatório do Ambiente dos Açores, coordenado pelo professor universitário Brito de Azevedo.

Consciencializar os mais jovens

Sensibilização: Alertar para os problemas ambientais é um projecto
O Observatório dos Ambiente tem tido também um papel importante na consciencialização da população estudantil mais jovem, através da realização de palestras e exposições das escolas da Região.

Fragilidades e Potencialidades do arquipélago açoriano

Projectos: A investigação e o estudo da climatologia é o principal objectivo do Observatório do Ambiente dos açores.
"As nossa ilhas consitutem unidades detentoras de património natural único e precioso. A sua localização geográfica no seio de um vasto oceano rarefeito tanto de portos seguros como de pontos de observação e porventura o seu maior património.

Promover o intercâmbio de ideias

Missão: O Observatório não é um substituto da universidade mas antes um lugar de debate.
Ao Observatório compete identificar e apoiar projectos considerados de interesse estratégico para a Região, promover o intercâmbio de ideias, divulgar o que se sabe e estar atento a todas as questões que de uma forma ou de outra tenham a ver com a capacidade dos açorianos, ou de todos aqueles que nos visitam para usufruirem das nossas ilhas

   
29 de Outubro
Açoriano Oriental

Governo financia a criação de centro de investigação

O Governo Regional vai financiar a criação de um centro de investigação de excelência a área da climatologia e da meteorologia, a ser integrado na Universidade dos Açores, mais concretamente no Pólo da Terra Chã, na Terceira, e 18 bolsas de doutoramento para investigadores.

   
29 de Outubro
Diário Insular

Universidade dos Açores cria um centro de Estudos do clima

A Universidade dos Açores quer ser uma unidade de excelência no estudo da climatologia.
A Universidade dos Açores prepara-se para criar o Centro de Estudos do Clima, Meteorologia e Mudanças Globais, uma plataforma de investigação que pretende colocar-se na comunidade científica internacional como produtor do conhecimento de excelência.
Este departamento vai concentrar os diversos investigadores em climatologia e meteorologia da Universidade dos Açores, nomeadamente os cientistas associados ao projecto CLIMAAT.

   
26 de Outubro
Diário Insular

Prestação de serviço especializado (05/CLIMAAT2)
Projecto CLIMAAT_II (03/MAC/2.3/A5)

Enquadramento: A Associação pretende contratar, em regime de pagamento por avença, o serviço de programação e "web design" das páginas relacionadas com os projectos em que se encontra envolvida, pelo período de seis meses renováveis até ao término do projecto ou de outros subsquentes.
Local de trabalho: Instalações da AEAI em cooperação com a equipa envolvida sob a coordenação dos responsável pelos projectos.
Pefil requerido e Condições preferenciais: Formação e capacidade técnica comprovada em programação e desenvolvimento de páginas WEB envolvendo as linguagens JSP ou PHP, mySQL e CSS. Disponibilidade imediata.
Prazo de entrega das propostas: dez dias a contar da data da publicação do presente anúncio.
Endereço para envio das propostas:

Coordenador do Projecto CLIMAAT_II
Apartado 356
9701-904 Angra do Heroísmo

Disponível no Diário Insular de 26 de Outubro de 2005.

   
22 de Outubro
A União

Para minimizar estragos: Rede Observação dos portos açorianos.

Ribeiro Pinto, da administração dos portos de Angra do Heroísmo e Graciosa, sustentou que a criação de uma rede observação permanente das condições de operacionalidade de todas as infra-estruturas portuárias existentes no arquipélago, será uma forma de poder intervir antes do desgaste completo dos portos.
A região considera-se "um laboratório vivo" para a engenharia portuária e, por isso, tem em desenvolvimento através da Universidade dos Açores, o programa "CLIMAAT" destinado a ampliar o conhecimento da ondulação no arquipélago.

   
22 de Outubro
Diário Insular

Contributo essencial para o sucesso dos portos Açorianos: Engenheiros defendem observação das ondas

Conhecer a agitação marítima e as condições de operacionaldiade nos portos insulares é crucial para a construção e manutenção dessas infra-estruturas na Região.
Os responsáveis pela gestão dos portos açorianos vão propor ao Governo Regional a criação de uma rede de observação permanente das condições de operacionalidade de todas as infra-estruturas portuárias existentes no arquipélago.
A região considera-se "um laboratório vivo" para a engenharia portuária e, por isso, tem em desenvolvimento através da Universidade dos Açores, o programa "CLIMAAT" destinado a ampliar o conhecimento da ondulação no arquipélago.

   
21 de Outubro
A União

Segundo Duarte Ponte: Açores são laboratório vivo de actividades marítimas

Na sessão de abertura das IV Jornadas Portuguesas de Engenharia Costeira e Portuária, o governante referiu que "Portugal tem nos Açores um modelo quase à escala laboratorial, para estudar, em conjunto todas as áreas de actividade ligadas ao mar.
Existem insituições, como o Instituto Hidrogr´fico, de Meteorologia e Politécnico, os Laboratórios Nacional e Regional de Engenharia Civil e a própria Universidade dos Açores que podem e devem colaborar mais para, como Governo Regional e com as Administraçõe Portuárias, tornar os modelos de previsão de engenharia existentes, mais fiáveis e correctos.
O secretário da Economia frisou a importância para as instituições de precisão nomeadamente o Instituto de Meteorologia, do Projecto em curso de estudo das ondas, com o apoio do programa de iniciativa comunitária INTERREG para que se possam aferir os seus modelos actuais de previsão.

   
Outubro
Revista Saber Açores

Ondógrafos do Projecto CLIMAAT; Na onda da tecnologia

Se na altura dos Descobrimentos, o mar serviu para afundar sonhos, agora as ondas do nosso oceano servem para nortear qualquer surfista que use as novas tecnologias da informação para navegar ao seu sabor. Falamos do projecto CLIMAAT que, ao lançar boias ondógrafos no arquipélago, permite a qualquer utilizador da Internet, aceder às condições martítmas existentes na região em tempo real.
As bóias ondógrafos estão equipadas com alguma da mais recente tecnologia mundial em termos de telecomunicações e de gestão informática.
A posição da bóia é controlada por satélite. a actualização destes dados é feita de forma regular para que os utilizadores desta informação possam possuir do mais fidedigno serviço possível em termos de condições do estado do mar.

   
21 de Outubro
Diário Insular

Duarte Ponte destaca condições climatéricas adversas da região : PORTOS CONSTRUIDOS COM MAIS RIGOR

“Existem testes em modelo reduzido que não são muito rigorosos, porque não têm em conta as especificidades dos Açores”, afirmou.
Duarte Ponte realçou a importância do projecto CLIMAAT, que está a ser desenvolvido por investigadores da Universidade dos Açores, para um maior conhecimento da ondulação no arquipélago.
“Os técnicos devem aproveitar os meios que existem para produzirem modelos
melhores para os portos dos Açores”

   
06 de Setembro
Açoriano Oriental

Bóia Ondógrafo já funciona ao largo de Ponta Delgada

A Bóia Ondógrafo de Ponta Delgada já se encontra operacional.
O Presidente da Portos dos Açores, SA, Carlos Oliveira, ja veio a público informar que estão conluídas todas as operações necessárias para garantir o acesso via internet a todos aqueles que precisem de ter conhecimento dos dados de agitação marítima e temperatura de superfície da água do mar colhidos pela bóia ondógrafo.
Dentro em breve, será igualmente possível saber os dados enviando por telemóvel uma mensagem directamente para a bóia. O número de telemóvel a marcar será na altura indicado.

   
25 de Agosto
Diário dos Açores

Bóia para obter dados sobre agitação marítima lançada em P, Delgada

A Região deve ficar dotada de uma rede de bóias ondógrafos nos próximos dois anos, permitindo a disponibilização de dados úteis para a navegação de embarcações de pesca de recreio. Esta rede está a ser instalada no âmbito do Projecto CLIMAAT, gerido por investigadores da Universidade dos Açores.

   
25 de Agosto
Jornal Diário

Dados sobre agitação marítima registados em bóias

A segunda bóia do projecto de uma rede de bóias ondógrafos já foi lançada ao largo de Ponta Delgada.
Esta rede está a ser instalada no âmbito do Projecto CLIMAAT, gerido por investigadores da Universidade dos Açores.
Segundo o professor Brito de Azevedo “esta bóia representa o final da primeira fase deste projecto, onde estivemos a desenvolver o software e o equipamento necessário à operação. O objectivo é instalar seis bóias deste tipo, sendo as primeiras colocadas junto aos portos das ilhas açorianas.

   
24 de Agosto
Diário Insular

Dados para a navegação: Projecto CLIMAAT cria rede de bóias nas ilhas

A Região deve ficar dotada de uma rede de bóias ondógrafos nos próximos dois anos, permitindo a disponibilização de dados úteis para a navegação de embarcações de pesca e de recreio. Esta rede está a ser instalada no âmbito do
Projecto CLIMAAT, gerido por investigadores da Universidade dos Açores.
O objectivo é instalar seis bóias deste tipo, sendo as primeiras colocadas junto
aos portos das ilhas açorianas. Começamos pela Praia da Vitória, agora é Ponta Delgada e, depois, será provavelmente a vez da Horta.

   
24 de Agosto
Açoriano Oriental

Investigação Projecto CLIMAAT: Bóia Ondógrafo lançada hoje ao largo de S. Miguel.

É a segunda bóia ondógrafo a ser lançada nos Açores e vai transmitir dados em tempo real
Obter dados sobre a agitação marítima em tempo real é um dos principais objectivos das bóias ondógrafo que estão a ser colocadas no arquipélago dos Açores.
Em Fevereiro deste ano foi lançado o primeiro destes dispositivos, ao largo da Praia da Vitória, e hoje foi lançada pela manhã a segunda bóia ondógrafo, desta vez a duas milhas da costa de São Miguel, junto ao aeroporto de Ponta Delgada.
Dada a importância destes dispositivos, o responsável do projecto apela à compreensão das embarcações para respeitarem o perímetro de salvaguarda das bóias, para que as informações cheguem correctamente.

   
22 de Agosto
Atlântico Expresso

Acesso a informações por telemóvel em banho-maria: Operadores dificultam projecto CLIMAAT

As operadoras de telemóveis portuguesas estão a dificultar a vida ao projecto CLIMMAT, nomeadamente na concretização do serviço de prestação de informações meteorológicas por telemóvel. Segundo Brito de Azevedo, coordenador do programa, estas empresas impões requesitos minimos que condicionam a disponibilização do serviço considerado pelo professor importante para os utilizadores até em termos de segurança.

   
21 de Agosto
Diário dos Açores

CLIMAAT lança ondógrafo na baía de Ponta Delgada

Depois da Praia da Vitória, o projecto Clima e Meteorologia dos Arquipélagos Açorianos (CLIMAAT) avança com a cobertura de mais uma ilha com a implementação de um sistema de informação em tempo real das condições marítimas existentes na Região

   
20 de Agosto
Diário insular

Acesso a informações por telemóvel em banho-maria: Operadores dificultam projecto CLIMAAT

As condições impostas pelas operadoras de telemóveis para o serviço de acesso às informações das bóias do porjecto CLIMAAT estão a impedir a sua concretização.
"Os contactos estabelecidos por nós não só demoram a ter resposta, como resultaram em condições que são dificeis de suportar por nós."
Brito de Azevedo adianta ainda que, nos contactos, não foi possível encontrar uma solução para que os utilizadores não paguem as mensagens que merecem como resposta outra a mensagem a dizer que a bóia está em manutenção. “Se o utilizador não acede ao serviço, não deve pagá-lo”, argumenta o professor.

   
19 de Agosto
A União

Ao largo de Ponta Delgada - CLIMAAT lança nova bóia
ondógrafo

Depois da Praia da Vitória, o projecto CLIMAAT avança com a cobertura de mais uma ilha com a implementação de um sistema de informação em tempo real das condições marítimas existentes na Região.
Segubdo o responsável pelo projecto, Eduardo Brito de Azevedo, esta iniciativa "constitui a fase percursora de um projecto mais amplo, submetido a financiamento Interreg, detinado a dotar todo o arquipélao com este tipo de informação meteo-oceanográfica de importância óbvia para o apoio à navegação, às pescas, à segurança no mar e às construções marítimo-portuárias.

   
17 de Agosto
Diário de Notícias

Observatório do Ambiente dos Açores

Anuncio de concurso para a empreitada de remodelação/ampliação da "Casa do Peixe" Estrada Gaspar Corte Real, Angra do Heroísmo

I.1) Designação e endereço oficiais da entidade adjudicante:
- Organismo: Associação para o Estudo do Ambiente Insular (AEIA).
- À atenção de: Professor Eduardo M. V. Brito de Azevedo
-
II.1.6) Descrição /objecto do concurso:
A empreitada consiste na recuperação e ampliação de um edifício (Casa do Peixe) na estrada Gaspar Corte Real em Angra do Heroismo, desenvolvendo-se ao corpo existente as suas características de escala e volumetria originais e procedendo-se à sua ampliação para o espaço circundante. A área de implantação aproximada da obra é de 600m2 .
II.2.1) Quantidade ou extensão total:
De acordo com o programa do concurso o preço estimado da obra é de 1 000 000.00€ (um milhão de euros).

Notas:
a) Remetido para publicação em Diário da República a 4 de Agosto de 2005.
b)Anúncio completo publicado no Diario de Noticias de 10 de Agosto, página 67
c) Anuncio completo publicado no Diário Insular (Angra do Heroísmo) a 12 de Agosto, página 14

O Representante da Comissão Instaladora da EAEI:
Alfredo Emílio Silveira de Borba

   
13 de Agosto
Diário Insular

Desde o início das festas: Projecto CLIMAAT na Marina da Praia

Desde o início das Festas da Praia da Vitória que o projecto CLIMAAT, disponibiliza nas instalações da Marina da Praia da Vitória informação on-line da previsão da agitação marítima e das observações em tempo real da bóia ondógrafo CLIMAAT - Praia da Vitória (Bond 1).
A informação está disponível na Internet em www.climaat.angra.uac.pt/produtos/lamtec/lota_hs.htm e www.climaat.angra.uac.pt/boias/lota.
Está ainda programada para o próximo dia 24 de Agosto uma operação de fundeamento de uma nova bóia CLIMAAT - AT Ponta Delgada (Bond 2), situada desta feita ao largo de Ponta Delgada.

   
12 de Agosto
CLIMAAT

Anúncio de concurso para empreitada de Remodelação/Ampliação da "Casa do Peixe" Estrada Gaspar Corte Real, Angra do Heroísmo

Entidade Adjudicante: Associação para o Estudo do Ambiente Insular (AEAI). À atenção de Professor Eduardo M. V. Brito de Azevedo.
Objecto do concurso: Empreitada do Observatório do Ambiente dos Açores – Remodelação/Ampliação da “Casa do Peixe” – Estrada Gaspar Corte Real – Angra do Heroísmo

Disponível no Diário Insular de 12 de Agosto de 2005.

   
10 de Agosto
Diário de Noticias

Observatório do Ambiente dos Açores

Anuncio de concurso para a empreitada de remodelação/ampliação da "Casa do Peixe" Estrada Gaspar Corte Real, Angra do Heroísmo

I.1) Designação e endereço oficiais da entidade adjudicante:
- Organismo: Associação para o Estudo do Ambiente Insular (AEIA).
- À atenção de: Professor Eduardo M. V. Brito de Azevedo
- Endereço: (instalações provisórias)
Universidade dos Açores
DCA - Casa de Madeira n.º 7 - Largo da Igreja
Terra Chã
- Código postal: 9701-851 Angra do Heroísmo
- Localidade/cidade: Angra do Heroísmo
- País: Portugal
- Telefone: 295-402214
- Telemóvel: 966425118
- correio electrónico: edubrito@angra.uac.pt

II.1.6) Descrição /objecto do concurso:
A empreitada consiste na recuperação e ampliação de um edifício (Casa do Peixe) na estrada Gaspar Corte Real em Angra do Heroismo, desenvolvendo-se ao corpo existente as suas características de escala e volumetria originais e procedendo-se à sua ampliação para o espaço circundante. A área de implantação aproximada da obra é de 600m2 .
II.2.1) Quantidade ou extensão total:
De acordo com o programa do concurso o preço estimado da obra é de 1 000 000.00€ (um milhão de euros).

Notas:
a) Remetido para publicação em Diário da República a 4 de Agosto de 2005.
O Representante da Comissão Instaladora da EAEI:
Alfredo Emílio Silveira de Borba

   
04 de Agosto
CLIMAAT

Anúncio para prestação de serviço especializado (04/CLIMAAT2)
Projecto CLIMAAT_II (03/MAC/2.3/A5)

Tipo: Contrato, em regime de pagamento por avença.
Pefil requerido e Condições preferenciais: Licenciatura em Gestão, membro da Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas. Experiência em procedimentos InterregIIIB. Disponibilidade imediata.

Disponível no Diário Insular de 4 de Agosto de 2005.

   
24 de Julho
Diário insular

Atlas Básico dos Açores

Para nós açorianos, é como se as ilhas não existissem.
É por isso que me curvo perante o aparecimento de um novo instrumento de grande importância para acabar com a santa ignorância acerca das nossas ilhas. Refiro-me ao "Atlas Básico dos Açores", preparado e publicado por uma vasta esquipa do Observatório Vulcanológico e Geotérmico dos Açores, sob a direcção do Professor Victor Hugo Forjaz (um nome que muito honra a universidade portuguesa e o saber que nela se produz).

Por: Luiz Fagundes Duarte

   
07 de Julho
Açoriano Oriental

Atlas Básico dos Açores

Foi publicado há alguns meses o Atlas Básico dos Açores, que tem como Editor o Professor Vítor Hugo Forjaz, e no qual colaboraram destacados nomes, nomeadamente de vários departamentos da Universidade dos Açores.
Departamentos, que são parte determinante na construção de uma sociedade mais evoluida,mais informada e mais culta.

   
05 de Julho
CLIMAAT

Anúncio para contratação de prestação de serviço especializado
Projecto CLIMAAT_II (03/MAC/2.3/A5)

Tipo: Contrato a termo certo, pelo período de um ano, renovável, um técnico com formação superior para gestão administrativa e financeira do referido projecto.
Pefil requerido e Condições preferenciais: Dada a natureza transnacional do projecto e especificidades no âmbito dos trâmites administrativos e financeiros, são condições preferenciais: formação em relações internacionais, formação na área económica e políticas comunitárias, experiência comprovada em gestão administrativa e financeira de projectos e verbas comunitárias, designadamente em projectos INTERREG e verbas FEDER.
Disponibilidade imediata.

Disponível no Diário Insular de 05 de Julho de 2005

   
02 de Julho
CLIMAAT

Anúncio para contratação de prestação de serviço especializado
Projecto CLIMAAT_II (03/MAC/2.3/A5)

Tipo: Contrato de regime de pagamento por avença
Pefil requerido e Condições preferenciais: Formação e capacidade técnica comprovada em instalação e programação em tecnologias Linux, VisualBasic, WEB (html, JAVA, Javascript, PHP, ArcIms, CIELO, e MySQL), preferencialmente com experiência em instrumentação tencológica de transmissão de dados e disponibilização online.
Disponibilidade imediata. Disponibilidade para deslocação a outro local do Arquipélago dos Açores.

Disponível no Diário Insular de 02 de Julho de 2005

   
30 de Junho
CLIMAAT

Anúncio para contratação de prestação de serviço especializado
Projecto CLIMAAT_II (03/MAC/2.3/A5)

Tipo: Contrato, em regime de prestação de serviço,
Pefil requerido e Condições preferenciais: Licenciado, Mestre ou Doutor com formação em Ciências da Terra e do Espaço, com formação e experiência em tecnologias SIG, WEB (html, JavaScript), ArcIms, GPS, preferencialmente com formação e trabalho desenvolvido em Climatologia e Hidrologia Insulares e aplicações baseadas no modelo CIELO (Clima Insular à Escala Local). Disponibilidade imediata para desenvolvimento de trabalho intensivo.

Disponível no Diário Insular de 30 de Junho de 2005

   
16 de Junho
Fundação para a Ciencia e a Tecnologia

Oportunidades de Emprego
Projecto CLIMAAT_II (03/MAC/2.3/A5)

Tipo: Bolsas de Investigação
Área científica genérica: Earth and Atmosphere Sciences
Condições essenciais: Mestrado em Física dos Oceanos com Licenciatura de base em Ciências Geofísicas especialidade em Oceanografia. Experiência em modelação numérica oceânica com Equações Primitivas, aplicada ao Atlântico Nordeste, incluído a Região dos Açores e a Macaronésia, quer em processos de mesoscala, quer em agitação marítima e interacção ondas-mesoscala. Experiência em modelação numérica em oceanografia operacional, em modo de previsão diária no Atlântico Nordeste (incluindo Açores). Bons conhecimentos de programação em FORTRAN 90. Residência na ilha Terceira, Açores, durante o período de contrato. Disponibilidade para iniciar o trabalho a partir de 1 de Julho de 2005. Pelo menos um artigo científico publicado em revista especializada para a Região Açores.
Condições preferenciais: Bons conhecimentos de informática em geral e de paralelização de códigos FORTRAN 90. Bons conhecimentos de programação gráfica bi e tridimensional. Boa comunicação oral e escrita em português, francês e inglês. Espírito de trabalho e camaradagem e disponibilidade para desenvolver trabalho intensivo.

   
16 de Junho
Fundação para a Ciencia e a Tecnologia

Oportunidades de Emprego
Projecto CLIMAAT_II (03/MAC/2.3/A5)

Tipo: Bolsas para Mestre ou Licenciado
Área científica genérica: Earth and Atmosphere Sciences
Pefil do Bolseiro: Mestre em Ciências Geofísicas ou em área com formação significativa em Física de Fluidos. Bons conhecimentos de programação em FORTRAN. Disponibilidade para realização de trabalho nos Açores. 2) Licenciado em Ciências Geofísicas ou em área com formação significativa em Física de Fluidos. Bons conhecimentos de programação em FORTRAN. Disponibilidade para realização de trabalho nos Açores.
Condições preferenciais: Bons conhecimentos de informática, incluindo programação científica, processamento gráfico e utilização de Linux. Boa comunicação oral e escrita em português e inglês. Espírito de trabalho e camaradagem e disponibilidade para desenvolver trabalho intensivo.

   
12 de Junho
Canarias 7

El Niño, ¿ Fuente de Calima?
Científicos Detectam Indicios de Relación entre el clima del Pacífico y el de Canarias

Científicos de la Macaronesia se dieron cita ayer em Taliarte para poner en comúm los estudios que permitirán el desarrollo de metodologias específicas de análisis y predicción, meteorológica y climática de las islas. En el encuentro se abordó la posible relación entre el fenómeno del El Niño, en el Océano Pacífico, y la entrada polvo sahariano en Canarias



Programa da Reunión Final del Proyecto

   
8 de Junho
Diário Insular

Anúncio de Concurso para Bolsa de Investigação
Projecto CLIMAAT_II (03/MAC/2.3/A5)

1- Local de trabalho: LAMTec - Laboratório de Ambiente Marinho e Tecnologia, Universidade dos Açores, Praia da Vitória, ilha
1.1-Condições essenciais: Mestrado em Física dos Oceanos com Licenciatura de base em Ciências Geofísicas especialidade em Oceanografia. Experiencia em modelação numérica oceânica com Equações Primitivas, aplicada ao Atlântico Nordeste, incluindo a Região dos Açores e a Macaronésia, quer em modelação numérica em oceanografia operacional, no modo de previsão diária no Atlântico Nordeste (incluindo Açores). Bons conhecimentos de programação FORTRAN 90. Residência na ilha Terceira, Açores, durante o período do contrato. Disponibilidade para iniciar o trabalho a partir de 1 de Julho de 2005. Pelo menos 1 artigo científico publicado em revista especializada para a Região dos Açores.
1.3-Condições preferenciais: bons conhecimentos de informática em geral e de paralelização de códigos FORTRAN 90. Bons conhecimentos de programação gráfica bi e tridimensional. Boa comunicação oral e escrita em português, francês e inglês. Espírito de trabalho e camaradagem e disponibilidade para desenvolver trabalho intensivo.

2- Local de trabalho: Centro de Geofísica da Universidade de Lisboa, Instituto de Meteorolgia - Delegação dos Açores.
2.1 -Perfil do Bolseiro: Mestre em Ciências Geofísicas ou em área com formação significativa em Física de Fluidos. Bons conhecimentos de programação em FORTRAN. Disponibilidade para realização de trabalho nos Açores.
2.2 Licenciado em Ciências Geofísicas ou em área com formação significativa em Física de Fluidos. Bons conhecimentos de programação em FORTRAN. Disponibilidade para realização de trabalho nos Açores.
2.3-Condições preferenciais: Bons conhecimentos de informática, incluindo programação científica, processamento gráfico e utilização de Linux. Boa comunicação oral e escrita em português e inglês. Espírito de trabalho e camaradagem e disponibilidade para desenvolver trabalho intensivo.

   
4 de Junho
Diário Insular

"As Mudanças do Clima"

Centro sobre a Europa inicia programa de actividades

O Centro de Informação Europe Direct da Universidade dos Açores, iniciou ontem o seu programa de actividades com uma sessão subordinada ao tema "As Mudanças do Clima". Apresentada por Eduardo Brito de Azevedo, a aula teve lugar na Escola Secundária de Angra no âmbito da Semana Verde 2005, que decorreu durante a última semana em toda a Europa.

   
29 de Maio
Diário Insular

Clima nas Ilhas: Oceano Protector

Quando se fala em intensificação do efeito de estufa e mudança global do clima, um projecto em que a Universidade dos Açores participa (com coordenação local de Eduardo Brito de Azevedo) conclui que as alterações do clima nas ilhas serão menos drásticas do que no país e isso é resultado da presença do oceano.
"As regiões continentais reagem de forma mais drástica às alterações no clima porque não dispõe do efeito termo-regulador que o oceano oferece às ilhas. O oceano é uma parte integrante do sistema climático"

   
19 de Maio
Diário Insular

Ja disponível na internet: Previsão do tempo à escala insular

Adequar as metodologias da previsão meteorológica à escala das regiões insulares é o principal objectivo do Projecto CLIMAAT financiado pelo Interreg III B.
O site do projecto CLIMAAT, www.climaat.angra.uac.pt disponibliza a previsão do estado do tempo para todas as ilhas do arquipélago, com a evolução da temperatura do ar, do vento ou da precipitação de ilha para ilha, assim como da costa norte para a costa sul de cada ilha.

   
14 de Maio
Diário Insular

Evolução do Clima: Ilhas com menor aquecimento no futuro

Nos Açores, a temperatura não deverá aumentar tanto como no continente português, caso se concretizem os cenários de evolução do clima estudados.
O oceano é a explicação para esta maior moderação do clima nas ilhas.
Relativamente à precipitação anual nos Açores, segundo conclusões da segunda fase do Projecto SIAM, os resultados indicam variações relativamente pequenas, com um aumento de Inverno, compensado por uma redução nas outras estações.

   
30 de Abril
Diário dos Açores

Portos vão ter sistema automático de apoio à navegação este ano

Os portos dos Açores vão dispor no final deste ano de um sistema automático para facilitar a navegação, que vai permitir monitorizar navios até 50 quilómetros da costa.
O MACAIS complementa-se com o projecto CLIMAAT que tem por obejctivo a monitorização e acompanhamento dos parâmteros meteorológicos e meteo-oceanográficos relevantes para a previsão do estado do tempo e das condições da atmosfera e do oceano.

   
30 de Abril
Diário Insular

Açores integram sistema de segurança na Macaronésia : Navios sob controlo até 50 quilómetros

Vai ser possível monitorizar embarcações que circulam até 50 quilómetros da costa. O projecto MACAIS (Macaronesia Automatic Identification System) abrange toda a Macaronésia.
As autoridades ficam com a capacidade de ter um conhecimento sobre a carga, velocidade, localização e tipos de navios que circundam as águas costeiras das três regiões até uma distância máxima na ordem dos 50 quilómetros da costa.

Região assume responsabilidades na segurança marítima

O projecto MACAIS, vai passar a ser, a curto prazo, uma componente de um Sistema de Segurança Marítima mais global designado por VTS - Sistema de Tráfego de Navios.

   
29 de Abril
Açoriano Oriental

Portos vão ter sistema automático de apoio à navegação este ano

Os portos dos Açores vão dispor no final deste ano de um sistema automático para facilitar a navegação, que vai permitir monitorizar navios até 50 quilómetros da costa.
O projecto Macais estende-se, ainda aos portos da Madeira e Canárias.
As autoridades ficam com capacidade de ter um conhecimento sobre a carga velocidade, localização e tipos de navios que circundam as águas costeiras das três regiões até uma distancia máxima na ordem dos 50 quilómetros da costa.
O MACAIS complementa-se ainda com outro projecto, também co-financiado pelo programa comunitário INTERREG III-B (Açores, Madeira e Canárias), o CLIMAAT que tem por objectivo a monitorização e acompanhamento dos parâmetros meteorológicos e meteo-oceanográficos relevantes para a previsão do estado do tempo e das condições da atmosfera e do oceano.

   
8 de Abril
Nota
à imprensa

Conferência pública CLIMAAT – 1 de Abril de 2005: A mudança Climática: Quioto, aquecimento Global e aproximação aos Cenários para a Região dos Açores

Conferencista: Professor Pedro Miranda

Realizou-se no passado dia 1 de Abril, pe las 15 horas, no anfiteatro 1 da Universidade dos Açores em Ponta Delgada, uma conferência subordinada ao tema: “ A Mudança Climática: Quioto, Aquecimento Global e Aproximação aos Cenários para a Região dos Açores ” .
A conferência foi proferida pelo Professor Pedro Miranda e foi promovida no âmbito dos trabalhos do Projecto CLIMAAT ( Interreg_3B ) em que participam, para além da Universidade dos Açores, o Observatório do Ambiente dos Açores, A Universidade de La Laguna, A Universidade de Las Palmas, o Centro de Geofísica da UL e o Instituto de Meteorologia de Portugal.
O Professor Pedro Miranda, meteorologista do Centro de Geofísica da UL, é responsável, no âmbito do referido projecto, pela componente da modelação da previsão do estado do tempo para os arquipélagos atlânticos. É também principal autor dos cenários sobre o futuro climático para Portugal recentemente estudados pelo projecto SIAM.
A conferência decorreu da reunião da equipa CLIMAAT na ilha de S. Miguel, onde, conjuntamente com os meteorologistas do IM, forão discutidos e avaliadas os resultados do trabalho desenvolvido tendo em vista a melhoria das técnicas de previsão do estado do tempo para os Açores.
Para a referida conferência foram convidados todos os interessados.


Nota à Imprensa

Apresentação PowerPoint do Professor Pedro Miranda

Albúm de fotos >

   
5 de Abril
Diário dos Açores

Investigador alerta para processo de mudança climática em Portugal

Pedro Miranda é responsável pela componente da modelação da previsão do tempo para os arquipélagos atlânticos, no âmbito do Projecto CLIMAAT, em que participam o Observatório do Ambiente dos Açores, e as Universidades dos Açores, de La Laguna, e de Las Palmas, bem como o Centro de Geofísica da Universidade de Lisboa e o Instituto de Meteorologia de Portugal.


   
2 de Abril
Açoriano Oriental

Açores longe de cenário de alterações climáticas globais

O facto de as alterações climatéricas sentidas em todo o globo, não terem um impacto tão acentudo nos Açores, e o clima oceânico dificilmente se alterar, foram os principais temas discutidos numa conferencia subordinada ao tema "A Mudança Climática: Quioto e Cenários de Aquecimento Global", proferida pelo climatologista Pedro Miranda, na Universidade dos Açores, em São Miguel.
O encontro foi promovido no âmbito dos trabalhos do projecto CLIMAAT (INTERREG III B), em que participam a Universidade dos Açores, o Observatório do Ambiente dos Açores, a Universidade de La Laguna, a Universidade de Las Palmas, e o Centro Geofísico da Universidade de Lisboa.
O projecto CLIMAAT visa a cooperação científica para o desenvolvimento de metodologias específicas do estudo da meteorologia e do clima das regiões insulares atlânticas e da sua envolvente.

   
1 de Abril RTP Informação
Investigador alerta para proceso de mudança climática em Portugal

O climatologista Pedro Miranda alertou hoje que Portugal "está já no meio" de um processo de mudança climática que, embora "ainda não muito intenso" em relação "as variações de temperatura e precipitação", já é "bastante importante"

   
       
1 de Abril Sindicato Nacional do Ensino Superior

A mudança climática: Quioto e cenários de aquecimento global, na Universidade dos Açores


Realiza-se no próximo dia 1 de Abril, pelas 15 horas, no Anfiteatro 1 da Universidade dos Açores em Ponta Delgada, uma conferência subordinada ao tema "A Mudança Climática: Quioto e Cenários de Aquecimento Global"

   
1 de Abril
Pesca.Açores

Mudança Climática

Realiza-se no próximo dia 1 de Abril, pelas 15 horas, no Anfiteatro 1 da Universidade dos Açores em Ponta Delgada, uma conferência subordinada ao tema "A Mudança Climática: Quioto e Cenários de Aquecimento Global"

   
30 de Março Diário dos Açores
As Mudanças CLimáticas em debate na Universidade dos Açores

Realiza-se no próximo dia 1 de Abril pelas 15H00, no anfiteatro I da Universidade dos Açores, em Ponta Delgada, uma conferência subordinada ao tema "A Mudança Climática: Quioto e Cenários de Aquecimento Globa".
A conferência que será proferida pelo Professor Pedro Miranda , é promovida no âmbito dos trabalhos do Projecto CLIMAAT (INTERREG III-B).

   
30 de Março Diário Insular

Em Ponta Delgada: Alterações climáticas tema de conferência


“A Mudança Climática: Quioto e Cenários de Aquecimento Global” é o tema de uma conferência que tem lugar sexta-feira, na Universidade dos Açores (UA), em Ponta Delgada, proferida por Pedro Miranda e promovida no ambito do projecto CLIMAAT.

   
1 de Março
A União

Tempestades nos Açores: Portos da Praia e Graciosa atingidos

O quebra-mar do Porto da Praia da Vitória e as "obras de mar do Porto de Pescas da Graciosa" sofreram estragos avultados com o temporal que assolou as ilhas, no passado fim-de-semana.
O projecto CLIMAAT, relacionado com a monitorização da agitação marítima ao largo da Praia da Vitória (através de uma boia ondografo instalada a cerca de 2,5 milhas da costa) registou, nos passados dias 26 e 27 de Fevereiro, "ondas de 8,4 m e uma altura máxima pontual superior a catorze metros".

   
1 de Março Diário Insular

Temporal acabou com o Porto da Praia: Golpe de misericórida

Ondas violentas degradaram ainda mais o molhe de protecção do Porto da Praia, durante o fim-de-semana, causando graves prejuízos e atrasando a sua recuperação.
Ribeiro Pinto considerou que ainda que o processo das obras de salvaguarda do Porto da Praia resultaram em pleno, tendo suportado esta tempestade, sem que tivesse ocorrido qualquer problema relacionado com o funcionamento do porto.

   
28 de Fevereiro
Nota à imprensa

Tempestade de 26/27 de Fevereiro registada pela bóia CLIMAAT-BOND1

Exmas. Redacções

Para a eventualidade de quererem ilustrar algum artigo sobre a a tempestade de 26 e 27 que terá causado estragos em infraestruturas portuárias em algumas ilhas,   tenho o prazer de lhes enviar o gráfico da ondulação observada ao largo do Porto da Praia da Vitória pela Bóia CLIMAAT_BOND1, fundeada a cerca de duas milhas da costa a Es-Nordeste da Ponta da Má Merenda. 
Pela primeira vez foi possível medir os parâmetros da ondulação observada em tempo real, a qual, nesta circunstância, atingiu uma altura significativa de 8,4 m e uma altura máxima pontual superior aos catorze metros. Valores ainda aquém de muitas das tempestades que nos visitam.
Lembro que esta observação só foi possível graças ao facto de ter sido recentemente fundeada a referida bóia (no princípio do mês de Fevereiro, conforme podem verificar em anteriores notícias), no âmbito do projecto CLIMAAT (Interreg3B, Mac 2.3/A3), iniciando-se assim uma fase em que os Açores deixam de ser a única zona do país que não dispunha deste tipo de informação.
O referido projecto, que se pretende estender a todo o arquipélago através de um Sistema Integrado de Monitorização de dados Meteo-Oceanográficos (SIMMETOCEAN) resulta da conjugação de esforços do Observatório do Ambiente dos Açores, da Universidade dos Açores, das administrações dos Portos dos Açores e do Governo Regional através das suas Direcções Regionais dos Transportes Marítimos e Aéreos e da Direcção Regional da Ciência e Tecnologia.


Relatório Resumo

 

   
22 de Fevereiro
Jornal da Madeira

CLIMAAT terá resultado em 2006

O Projecto CLIMAAT, que tem em vista a operacionalização de modelos de monitorização das alterações climáticas nas Regiões Atlânticas está neste momento em fase de arranque e deverá ter resultados concretos já no próximo ano.

   
19 de Fevereiro

Lagoa aposta na vulcanologia

Vitor Hugo Forjaz
O Município da  Lagoa, na ilha açoriana de S Miguel, decidiu distinguir o OVGA - Observatório Vulcanológico e Geotérmico dos Açores, ali instalado desde há 2 anos , junto a uma formosa baía oceânica, com uma inesperada resolução , ou seja, o acesso  rodoviário   ao OVGA  passou a chamar-se Avenida Vulcanológica, uma  designação toponímica única nos Açores.

consulte: www.ovga-azores.org

   
18 de Fevereiro
A União

Subidas "significativas de temperatura: Arquipélagos na rota do aquecimento global

As temperaturas mínimas e máximas têm vindo a registar subidas "significativas" nas ilhas açorianas, de Janeiro de 2003 a Janeiro de 2005.
Trata-se de uma consequência do "efeito de estufa" verificado a nível mundial a que a Região não terá conseguido escapar

   
11 de Fevereiro A União

Novas instalações do Observatório: Pólo na informação ambiental açoriana

As obras de recuperação e readaptação da antiga Casa do Peixe para a instalação do Observatório do Ambiente dos Açores, com início previsto para Maio, querem fazer desta infraestrutura localizada no centro de Angra do Heroísmo, um polo estratégico de informação ambiental sobre o arquipélago.
O Observatório tem fins científicos e pedagógicos.

   
2 de Fevereiro
Açoriano Oriental

Bóia ondógrafo lançada ao largo da Praia

Vai ser lançada hoje uma bóia ondógrafo a 2,5 milhas a nordeste da entrada do porto da Praia da Vitória, ilha Terceira, a uma profundidade de cerca de 100 metros.
Trata-se de um projecto CLIMAAT e a bóia tem a finalidade de fornecer informação em tempo real da agitação marítima que está a ocorrer num dado momento.

   
2 de Fevereiro Diário Insular

Bóia lançada na Praia da Vitória: CLIMAAT monitoriza agitação marítima

A monitorização da agitação marítima ao largo da Praia da Vitória, vai passar a ser efectuada em tempo real, a partir de hoje, com o lançamento de uma bóia ondógrafo que ficará instalada a cerca de 2,5 milhas da costa.
Os dados serão disponibilizados através da página da Internet do projecto CLIMAAT.
Nos próximos dois anos serão instaladas três bóias ondógrafo, dois sensores de fundo portuário e uma bóia multi-parâmetro de grande dimensão. Com esse sistema, a Zona Económica Exclusiva dos Açores fica coberta no que se refere à seguranças das actividades marítimas.

   
Fevereiro
Comunicação à Sociedade

AJUDE A GUARDAR A NOSSA BÓIA ONDÓGRAFO

A bóia para medir as ondas que está fundeada a cerca de 2,5 milhas por Es-Nordeste da Ponta da Má Merenda ao Largo da Praia da Vitória é para ajudar a pesca, a marinha do comércio, as actividades portuárias e todos os que navegam e trabalham no mar.

   
2 de Fevereiro  

Lançamento de Bóia Ondógrafo (CLIMAAT – BOND 1) ao largo da Praia da Vitória

boia_ewb1 boia_web2
boia_web3boia_web4

missão CLIMAAT - BOND 1
mais fotos 1º dia >
mais fotos 2º dia >

No dia 2 de Fevereiro de 2005 foi lançada numa posição a cerca de 2 milhas a Es-Nordeste da entrada do Porto da Praia da Vitória, ao largo da Ponta da Má Merenda, numa profundidade próxima dos 100m, coordenadas 38º 44,86´N; 27º 00,82´W, uma bóia ondógrafo adquirida pelo projecto CLIMAAT (MAC 2.3/A3) desenvolvido no âmbito iniciativa comunitária INTERREG III-B Açores, Madeira e Canárias.
A iniciativa contou com o apoio da Direcção Regional dos Transportes Aéreos e Marítimos, da empresa Portos Açores, S.G.P.S., S.A., do Instituto Hidrográfico e da Capitania do Porto da Praia da Vitória. A missão de preparação e fundeamento da bóia esteve a cargo do Instituto Hidrográfico, que desde logo aderiu à iniciativa, tendo para o efeito deslocado aos Açores uma equipa de 4 elementos especialistas do respectivo Departamento de Oceanografia. A operação de mar foi feita a bordo do rebocador “O Bravo” da Administração dos Portos da Terceira e Graciosa.
Esta bóia ondógrafo, da mais recente tecnologia que inclui posicionamento por GPS, tem uma amarração com um cabo de borracha que lhe permite flutuar seguindo as cristas e cavas das ondas, convertendo este movimento oscilatório num sinal rádio que é emitido para um receptor colocado nas instalações da Administração do Porto da Praia da Vitória. Este sinal é gravado e processado estatisticamente em computador o que vai permitir dispor-se da informação em tempo real da agitação marítima, ora através da consulta à página da internet do projecto CLIMAAT, ora através de mensagem GSM via telemóvel.
O Observatório de Ambiente dos Açores, no seguimento do projecto CLIMAAT, está a lançar um novo projecto cujo objectivo é o de contribuir para um melhor conhecimento e acompanhamento da climatologia marítima no sentido de ser atingido um aumento significativo da segurança de todas as actividades marítimo-portuárias, incluindo as da pesca. A análise realizada às necessidades dos dados meteo-oceanográficos nos Açores, conduziu à concepção de um Sistema Integrado de Monitorização de Dados Meteo-oceanográficos (SIMMETOCEAN), cujo arranque consiste na exploração desta Bóia Ondógrafo, em cooperação directa com a Direcção Regional dos Transportes Aéreos e Marítimos, a empresa Portos Açores, S.G.P.S., S.A. e o Instituto Hidrográfico.
Esta cooperação pretende-se alargar, no mais curto prazo, a todas as entidades privadas e oficiais que do mar e sua segurança dependem.
Prevê-se para a fase de implantação do SIMMETOCEAN uma duração de 24 meses, durante os quais estão previstas as instalações de 3 Bóias Ondógrafo, 2 Sensores de Fundo Portuários e, no penúltimo trimestre, uma Bóia Multi-parâmetro de Grande Dimensão.
Este Sistema irá permitir que seja possível passar-se a considerar a ZEE da Região Autónoma dos Açores como uma área suficientemente coberta e de aviso real para a segurança das actividades marítimas, no que respeita a pessoas, navios, bens e infra-estruturas.
Tal não será possível sem a cooperação activa de todos os navegantes no sentido de dar o máximo resguardo e protecção à bóia, que se encontra devidamente assinalada, emitindo à noite uma série de 5 relâmpagos espaçados de 2 segundos seguidos de uma oclusão de 10 segundos.
Para efeitos de segurança e resguardo da bóia e da navegação no local foi estabelecido, através do “Aviso à Navegação Local” nº 01/2005 emitido pela Capitania do Porto da Praia da Vitória, um resguardo com um raio de 200 metros.

       
31 de Janeiro Nota à imprensa

Nota à imprensa
Lançamento de Bóia Ondógrafo ao largo da Praia da Vitória

Na próxima 4ª feira dia 2 de Fevereiro vai ser lançada numa posição a cerca de 2,5 milhas a Nordeste da entrada do Porto da Praia da Vitória, numa profundidade da ordem dos 100 m, uma bóia ondógrafo adquirida pelo projecto CLIMAAT (MAC 2.3/A3) desenvolvido no âmbito iniciativa comunitária INTERREG IIIB, Açores, Madeira e Canárias.

       
23 de Janeiro Diário dos Açores

Promoção da ciência e tecnologia nos Açores

Woodin visitou na altura várias ilhas com o objectivo de criar uma rede apoio ao desenvolvimento do programa "Globe", que foca um pouco do trabalho de Eduardo Brito de Azevedo, do pólo de Angra do Heroísmo da Universidade dos Açores, que inclusive está a publicar um livro que mostra os microclimas existentes nos Açores com base em dados históricos de um activo programa de investigação

       

 

Ano de 2004
 
Data
Origem
Resumo da Noticia

Notícia completa

15 de Dezembro
Açoriano Oriental

Açores lideram estudo sobre alterações climáticas:

Os Arquipélagos Atlânticos podem vir a constituir um laboratório à escala internacional.

Os Arquipélagos Atlânticos, segundo Brito de Azevedo, são laboratórios ideais para o estudo das implicações da evolução meteorológica e climática.

   
15 de Dezembro
Jornal da Madeira

Estudo junta regiões da Macaronésia:

Para um melhor conhecimento das alterações climáticas específicas de cada Região.

O projecto "CLIMAAT - II" tem em vista a operacionalização de modelos de monitorização das alterações climáticas da Madeira, Açores e Canárias. Segundo Domingos Abreu, com este projecto a Madeira irá dispor de mais um instrumento de gestão ambiental, o que vai permitir o processo de alteração climática de uma forma específica.

   
7 de Dezembro
Diário Insular

Em Janeiro nas escolas: Mapas das ilhas em Atlas Básico

Aspectos do clima, geologia ou população da Região serão reunidos no Atlas Básico dos Açores, que será distribuido no princípio do ano pelas escolas.
Os mapas do Atlas Básico do Ambiente são mapas representativos de caracteristicas das ilhas.

   
6 de Dezembro
Jornal Diário

Atlas Básico dos Açores publicado em Janeiro

O Observatório Vulcanológico e Geotérmico dos Açores vai distribuir em Janeiro pelas escolas açorianas, um atlas básico do arquipélago.
A edição e distribuição da obra pelas escolas será gratuita e tem o apoio da União Europeia no quadro do programa INTERREG III

   
27 de Junho Diário Insular

Brito de Azevedo: Os Açores e o Clima

As regiões atlânticas podem desempenhar um papel importante nos estudos da climatologia a nível global.
Eduardo Brito de Azevedo, coordenador do programa CLIMAAT, assegura que os arquipélagos atlânticos precisam de informação científica mais detalhada sobre clima e meteorologia.
O investigador da Universidade dos Açores defende também a dinamização dos observatórios meteorológicos regionais, que, nos últimos anos, ficaram quase ao abandono com a centralização de serviços em Lisboa.

   
21 de Junho A União

Defendem especialistas: Açores são plataforma ideal para estudo climático

Ponto incontornável no workshop "Clima e Meteorologia dos Arquipélagos Atlânticos - Mudanças Globais do Clima", foi o facto de os Açores representarem um "plataforma ideal" para o estudo do clima e das variáveis que o afectam em termos locais e mundiais.
Os Açores são uma plataforma ideal para fazer estudos sobre alterações globais da atmosfera. Não só sobre o clima como sobre a poluição.

Clima nos Açores até 2100: Mais calor, chuvadas e subida do nível do mar

As mudanças globais do clima foram temas tratados no workshop que o trabalho desenvolvido no âmbito do SIAM (Climate Change in Portugal - Scenarios, Impacts and Adaptation Measures) escolheu para apresentar os seus primeiros resultados, após cinco anos de investigação.
Os resultados que dizem respeito não somente ao território continental, como insular.
As projecções baseadas para o arquipélago, apontam para um aumento da temperatura em 1 a 2 graus até ao final deste século.
As chuvas vão concentrar-se mais nos meses de Inverno, com projecção de Verões mais secos.

   
18 de Junho Jornal Diário

Ambiente: Aquecimento Clima será de um a dois graus

O aquecimento do clima nos Açores deverá oscilar entre um e dois graus durante este século, um aumento abaixo dos sete a oito graus previstos para a Península Ibérica.
"Devido ao efeito do mar que rodeia as ilhas, é mais reduzida (no arquipélago) o impacto do aquecimento global do que o previsto para o continente europeu", assegurou Pedro Miranda, investigador da Universidade de Lisboa que falava em Angra do Heroísmo no seminário Clima e Meteorologia dos Arquipélagos Atlânticos.
Eduardo Brito de Azevedo, investigador da universidade açoriana e do Observatório Científico Ambiental dos Açores, assegurou que actualmente já é possível avaliar "a variação climática do arquipélago mais ao pormenor da ilha, do concelho e até da freguesia.

   
18 de Junho Diário Insular

Investigadores defendem mais apoio governamental ao estudo do clima: Cientistas querem trabalhar na região

Há organismos estrangeiros interessados em estudar o clima a partir dos Açores. Mas faltam apoios estaduais para a manutenção dos equipamentos.

Projecções climáticas discutidas em Angra: Chuvas intensas e concentradas no futuro Inverno Açoriano

Os Açores serão a região do país com menores alterações climáticas neste século.
Enquanto que em certas regiões interiores de Portugal continental os aumentos de temperatura são da ordem dos cinco graus, para os Açores projecta-se um aumento na ordem de um ou dois graus até ao final deste século.

 

 

   
18 de Junho A União

Avisam especialistas: Mudanças climáticas nas ilhas

O aquecimento do clima nos Açores deverá oscilar entre um e dois graus durante este século, um aumento abaixo dos sete a oito graus previstos para a Península Ibérica.
O impacto do aquecimento global é mais reduzido nos Açores, devido ao efeito do mar que rodeia as ilhas.
Eduardo Brito de Azevedo, investigador da universidade açoriana e do Observatório Científico Ambiental dos Açores, assegurou que actualmente já é possível avaliar "a variação climática do arquipélago mais ao pormenor da ilha, do concelho e até da freguesia.

   
17 de Junho Diário Insular

Tiro & Queda

Dizem que se pode estudar o clima a partir dos Açores ! . . .

Se conseguissem trazer água para as terras já era bom ! . . .

   
16 de Junho Diário Insular

Estrutura vai funcionar na "Casa do Peixe": Observatório ambiental abre no Verão de 2005

O Observatório Científico Ambiental dos Açores, deverá iniciar a sua actividade no Verão do próximo ano.
Eduardo Brito de Azevedo assegura que o observatório não irá substituir as entidades que desenvolvem nos Açores investigação na área do ambiente.

Especialistas debatem tema em Angra: Privilégios insulares no estudo do clima

Especialistas nacionais e estrangeiros vão debater, em Angra do Heroísmo, a importância das regiões insulares para o estudo do clima a nível global.
De acordo com Eduardo Brito de Azevedo, os Açores foram perdendo importância nestas áres nas últimas décadas, apesar de o arquipélago ter sido pioneiro em Portugal na observação meteorológica graças a personalidades como Afonso Chaves e o Tenenete Coronel José Agostinho, que desenvolveram a sua actividade nessa área nos séculos XIX e XX.

 

 

   
13 de Junho Açoriano Oriental

Observatório para o Ambiente em Angra

Um workshop sobre mudanças climáticas é a próxima iniciativa deste observatório que já tem sede.
Observatório, novo edifício vai passar a funcionar junto à Baía de Angra.
Funcionando há cerca de dois anos, o Observatório de Ambiente dos Açores, vai promover em Angra do Heroismo um workshop sobre mudanças globais do clima.

   
4 de Junho Diário Insular

De 17 a 19 deste mês: Workshop sobre o clima decorre em Angra.

“Clima e Meteorologia dos Arquipélagos Atlânticos Atlânticos - Mudanças Globais do Clima” é o tema de um workshop que tem lugar, entre 17 e 19 deste mês, em Angra do Heroísmo.
No workshop, que decorre no âmbito dos projectos CLIMAAT e SIAM, vão ser abordados diversos temas relacionados com o clima e a meteorologia, estando também prevista uma visita guiada à Terceira.

Workshop: Clima e Meteorologia reflectidos em Angra

O clima influencia questões como os recursos hídricos, a agricultura, saúde ou transportes. As mudanças climáticas globais serão abordadas num workshop em Angra.
A iniciativa decorre no âmbito do projecto CLIMAAT (Clima e Meteorologia dos Arquipélagos Atlânticos), do programa comunitário INTERREG III-B.
No workshop serão apresentadas as diferentes linhas de trabalho do projecto e alguns resultados já obtidos.

 

 

   
28 de Maio Correio dos Açores

Temperatura pode subir 2 graus nos Açores

A temperatura nos Açores, pode subir entre 1 a 2 graus nos próximos 100 anos, prevê estudo ja divulgado. As simulações foram validadas para a Terceira e confirmadas para São Miguel.
O estudo resultante da segunda fase do programa SIAM (Climate Change in Portugal - Scenarios, Impacts and Adaptation Measures), confirma que as Regiões Autónomas dos Açores e Madeira são zonas do país onde o aumento de temperaturas será mais baixo durante o século.
Ainda não foi avaliado que efeitos é que o aumento da temperatura, a redução das chuvas e a subida do nível do mar terão nas regiões insulares.

   
28 de Maio Diário dos Açores

Açores beneficiam do efeito regulador do oceano

As alterações climáticas não vão ser tão drásticas como no continente.
O coordenador do projecto no arquipélago realça que os Açores " não são o sítio do globo onde as alterações se verficaram de uma forma drástica, porque beneficiamos do efeito regulador do próprio oceano". "Não deixa alguns fenómenos evoluirem numa tendência tão acelerada como nas placas continentais", sublinha Brito de Azevedo

       
27 de Maio Diário Insular

Estudo: Temperatura nos Açores pode subir dois graus

A temperatura nos Açores, pode subir entre 1 a 2 graus nos próximos 100 anos, prevê estudo já divulgado. As simulações foram validadas para a Terceira e confirmadas para São Miguel.
O estudo resultante da segunda fase do programa SIAM (Climate Change in Portugal - Scenarios, Impacts and Adaptation Measures), confirma que as Regiões Autónomas dos Açores e Madeira são zonas do país onde o aumento de temperaturas será mais baixo durante o século.
Ainda não foi avaliado que efeitos é que o aumento da temperatura, a redução das chuvas e a subida do nível do mar terão nas regiões insulares.

       
12 de Janeiro Jornal Diário

Verões serão muito quentes até ao fim do século

Os Verões muito quentes, com temperaturas como as que atingiram a Europa em 2003, deverão repetir-se com frequência até ao final do século.
De acordo com um relatório apresentado pelo projecto SIAM - que se dedica ao estudo do clima - o nível da água do mar na costa portuguesa poderá subir entre 25 a 110 centimetros, devido às alterações climáticas.
Os gases com efeito de estufa, emitidos pela Indústria e pelos transportes, são apontados como a principal causa para o sobre-aquecimento global.